quinta-feira, 30 de junho de 2011

OS MENINOS

Ainda se lembram dos meus meninos? Sim, os meninos do bus, o Ricardo e o Pedro)...há imenso tempo que não falo aqui deles. Mas continuo muito próxima deles, embora agora que as aulas acabaram, só os veja ao fim do dia.
Continuam a viver o amor deles como só 2 adolescentes sabem viver, como se a Mundo fosse acabar no dia seguinte. O Pedro bem mais contido do que o Ricardo, sempre "larger than life", anda com muitas dúvidas sobre o que fazer no próximo ano, se continua na Faculdade onde fez todas as cadeiras do 1º ano com umas notas muito boas, ou se segue o seu sonho, a Escola Superior de Artes Decorativas, o curso de Conservação e Restauração. Ele costuma passar os Verões a ajudar a mãe que é restauradora de móveis e realmente é uma pena não se aproveitar um talento daqueles. O Ricardo, o Rich como muito aqui o "conhecem" continua o mesmo menino aluado de sempre que acolhi quando ele precisou de um ombro Para mim, eles são um exemplo de luta contra o preconceito dos pais, especialmente o Rich, neste momento não só voltou para casa, mas aos poucos conseguiu que os pais e o irmão aceitassem de braços abertos o Pedro. É certo que gostar do Pedro é a coisa mais fácil do Mundo, pelo rapaz fantástico que ele é, mas foi uma das condições/pedidos que os pais apresentaram, que por um tempo não levasse o namorado lá a casa. Mas em 6 meses e depois de um abanão na estrutura daquele relacionamento, para quem é que os pais do Rich se viraram? Pois...para o Pedro que com muita calma e responsabilidade conseguiu virar a opinião daquela família e neste momento é o elo de ligação entre o Rich e os pais.
Felizmente que tudo corre bem para eles, que merecem toda a felicidade do Mundo

Ah continuam-me a chamar "mummy" e eu a considerá-los meus filhos

4 comentários:

AdamWilde disse...

Que história tão fofa +.+
Felicidades para eles =)

Sonia disse...

Que bom saber que as coisas estão a correr bem!
Muitos beijinhos para todos :)

Nocas disse...

Infelizmente não se devia ter que lutar contra o preconceito porque ele nem sequer devia existir...As pessoas têm mais é que ser felizes!
Ainda bem que eles estão a conseguir ;)

Nocas

pinguim disse...

"Aqui" foste uma autêntica madrinha.